sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Voo 3037 TERRA CHÃ com "SAUDADE de ONTEM"?!....




Fernando Castelo Branco
1ºSargº.MMT
Angra do Heroísmo
Terceira



Só hoje é que foi possível, realizar a VONTADE COM SAUDADE, de muitos; por intermédio do "SERINGAS DE BISEU";
FELICIANO GOUBEIA...





 E antes de terminar quero dizer-vos que os ALAMOS que foram "crianças/JOVENS"como BÓS, cresceram e estiveram sempre com NÓS, mesmo com o MAR pelo meio?!.. "ALGUNS ANOS" passaram mas as PESSOAS não deixam nem esquecem de dizer
que AQUI, foi aonde existiu o Primeiro HOSPITAL MILITAR DA FORÇA AEREA
  Um abraço

Frnando C.Branco

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Voo 3036 AS OBRAS DE ARTE DO ANTÓNIO SIX (2)






António Six
Esp.MRÁDIO
Pontével




Olá meus amigos
Quantos e quantos de nós não fomos ou viemos  neste avião que olhado a esta distancia , bem merecia estar no museu.

Legenda: O nosso conhecido e saudoso DC-6,Douglas, que tantas e tantas vezes ansiávamos a sua chegada para nos trazer de regresso em final de comissão. Bom, também era indesejável a sua operacionalidade por altura da nossa partida para a guerra…


 Avarias para cima Canárias , Sal. Bissau e o regresso para alguns, outros não puderam vir e ainda outros vieram  arrastados e em mau estado.
Que não nos esqueçamos. 

Six

Voo 3035 EVACUAÇÃO NOCTURNA A 300 MILHAS DE TERRA.








A Força Aérea e a Marinha através dos seus Centros Coordenadores de Busca e Salvamento Marítimo (MRCC Delgada) e Aéreo (RCC Lajes) coordenaram entre o fim da tarde de ontem e a madrugada de hoje, 24 de Janeiro, a evacuação médica de um tripulante, do navio mercante “LONG GLORY”, que se encontrava a navegar a cerca de 767 quilómetros a norte da Ilha Terceira, Açores.
O pedido de auxílio foi recebido pelo Centro Coordenador de Busca e Salvamento Marítimo de Falmouth, Reino Unido, pelas 16H00, horas locais, a solicitar a evacuação médica de um tripulante do sexo masculino, de 26 anos de idade e de nacionalidade Chinesa.
O MRCC Delgada contactou o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (mar) do INEM, que identificou a necessidade de evacuação urgente do tripulante ferido. Neste âmbito, foi contactado o Centro de Busca e Salvamento Aéreo das Lajes (RCC Lajes), que empenhou nesta missão os meios aéreos ao seu dispor.





O RCC Lajes planeou, coordenou e controlou toda a operação aérea, tendo enviado para o local uma aeronave EH-101MERLIN, com uma equipa médica do Centro de Saúde da Base Aérea Nº4 (BA4) a bordo, a fim de proceder à evacuação médica e estabilização do tripulante, e uma aeronave C-295M para realizar a deteção inicial da embarcação, acompanhar e apoiar as comunicações entre o helicóptero, o navio e os Centros de Busca e Salvamento envolvidos.
A extração do tripulante foi efetuada com sucesso nas coordenadas estabelecidas pelo RCC Lajes, a cerca de 650 quilómetros a norte das Lajes, pelas 23H40 da noite de 23 de janeiro, tendo as aeronaves EH-101 MERLIN da Esquadra 751 e C-295M da Esquadra 502, aterrado nas Lajes, já na madrugada do dia seguinte, pelas 03H15 e 02H55 respetivamente, onde uma ambulância da BA4 já os aguardava para transportar o paciente e a equipa médica para o Hospital do Santo Espírito, em Angra do Heroísmo.
As condições meteorológicas na zona de operações eram de vento forte e ondulação de 3,5 metros do quadrante sudoeste.

Voo de Ligação:
EMFA


Voo 3034 PARABÉNS JOÃO CARRILHO.




João Carrilho
2º Sargº.Melc./Inst./Av.
V.F.Xira






 Hoje é dia de aniversário, o João Carrilho  completa mais um ano de vida.
Em nome de toda a Tertúlia “Linha da Frente”, desejamos-te um dia muito feliz na companhia de quem te é mais querido.
 

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Voo 3033 AEFA - 37º ENCONTRO NACIONAL

Companheiros,
Chega-nos da Associação de Especialistas da Força Aérea o anúncio do 37º Encontro Nacional, com particular chamada de atenção para a nova data de 29 de Março de 2014, em substituição do habitual primeiro Sábado de Junho e para que se divulgue por todos os Especialistas, especialmente junto dos que menos acedem a estas "novas" tecnologias.
 

domingo, 26 de janeiro de 2014

Voo 3032 AS OBRAS DE ARTE DO ANTÓNIO SIX (1)





António Six
Esp.MRádio
Pontével




Legenda: Uma aguarela do velho C-47 Dakota que tantas recordações deixou a muitos de nós.

Aqui vai o ultimo prometo ir mandando mais .
Um abraço para todos

Six

VB: Companheiros,
Não somos alheios ás grandes qualidades na arte da pintura do Six,mas só agora lhe solicitamos a devida autorização para a apresentação dos seus excelentes trabalhos.
Vamos tentar ainda recuperar os existentes para que todos possam apreciar a sua magnifica obra.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Voo 3031 PARABÉNS VICTOR SOTERO



 

 
Victor Sotero Cavaleiro
Sarg. Mor EABT
Lisboa






Hoje é dia de aniversário, o Sotero  completa mais um ano de vida.
Em nome de toda a Tertúlia “Linha da Frente”, desejamos-te um dia muito feliz na companhia de quem te é mais querido.
 

Voo 3030 O ENIGMA DE MUITAS PESSOAS.



Porque alguns aviões formam rastros de "fumaça"?




Aquele rastro se chama Trilha de condensação e é formada pelo contato entre o ar quente que sai da turbina do avião e as gotículas de água super-resfriadas suspensas no ar.
Aquela fumaça que é muito comum de ver quando os aviões já estão voando em nível de cruzeiro tem um nome engraçado: Contrails (que é uma abreviação americana para “condensation trails”, ou trilhas de condensação).
O Contrail se forma por causa da condensação do vapor de água em altas altitudes causadas pela saída dos gases quentes dos motores. Quando esses gases resfriam em contato com ar extremamente frio das altas altitudes, gotas de água microscópicas presentes na atmosfera condensam e formam as nuvens.Estas nuvens geralmente aparecem acima dos 26 mil pés (8 mil metros) e somente se a temperatura externa estiver abaixo de −40 °C (frio pra dedéu).


Quase todos os dias, principalmente no inverno, ao se olhar para o céu, é possível ver os longos "rastros de fumaça" deixados pelos aviões que viajam a grandes altitudes. Mas, apesar de criarem belas paisagens, os pesquisadores agora descobriram que eles não são tão belos assim para o meio-ambiente.
Os rastros de fumaça se formam quando o ar quente e húmido criado pelas turbinas dos aviões se mistura com o ar ao seu redor, frio e a baixa pressão. É o mesmo processo que faz com que nosso hálito se condense ao ser exalado de nossos pulmões em dias frios. A humidade se condensa e forma pequenas nuvens. Mas não se preocupe: ninguém vai ter que parar de respirar no inverno.
A diferença com nosso hálito é que alguns desses rastros podem durar por horas, funcionando como cirros, nuvens de grande altitude que seguram calor na atmosfera. E o assunto ganha dimensões de problema ao se verificar que esses cirros artificiais estão crescendo a taxas muito elevadas, acompanhando o crescimento anual de 5% no transporte aéreo mundial.


Preocupados com o efeito estufa, pesquisadores do Imperial College London, Inglaterra, estão agora tentando encontrar um forma de reduzir esses "rastros de aviões".
Os cientistas já descobriram que a condensação pode ser diminuída pela alteração da altitude de vôo das aeronaves. No verão, quando o ar é mais quente, restringir o teto de operação dos aviões a 9.500 metros pode ser benéfico. No inverno o ar é mais frio, favorecendo a formação dos rastros de fumaça e, para evitá-los, seria necessário manter os aviões a, no máximo, 7.500 metros de altitude.
Esta é uma medida de dificílima adoção, já que os aviões voam a maiores altitudes para reduzir o arrasto aerodinâmico e diminuir o consumo de combustível. A maior dificuldade viria do impacto sobre os custos das empresas, já que os cientistas descobriram que o efeito do gasto adicional de combustível é menos danoso para a atmosfera do que a formação dos rastros de fumaça.
A pesquisa agora irá tentar mapear de forma mais precisa as massas de ar, para que os aviões possam se desviar delas. As pesquisas também poderão ser úteis para o projeto de novas aeronaves. Até hoje, a formação de rastros de fumaça nunca foi uma preocupação dos projetistas de aviões e o estudo poderá ajudá-los a pesquisar formas de reduzi-los ou até mesmo evitá-los.
Agora vamos tentar entender a diferença entre Contrails (trilhas de vapor) e chemtrail :



Contrails

Contrails ( abreviação de "trilhas de condensação") ou trilhas de vapor são longas e finas nuvens artificiais que às vezes se formam atrás das aeronaves . A sua formação é mais frequentemente acionada pelo vapor de água nos gases de escape dos motores de aviões, mas também pode ser desencadeada pelas mudanças na pressão do ar em vórtices nas pontas das asas ou no ar sobre toda a superfície da asa. Como todas as nuvens, são rastros feito de água, sob a forma de uma suspensão de milhares de milhões de gotículas de líquido ou cristais de gelo.
Dependendo da temperatura e umidade na altitude das formas contrail, eles podem ser visíveis por apenas alguns segundos ou minutos, ou pode persistir por horas e se espalhar por vários quilômetros de largura.

Chemtrail

A teoria da conspiração chemtrail ,acredita-se que algumas trilhas deixadas por aviões são químicas ou agentes biológicos deliberadamente pulverizados em altas altitudes para fins não revelados ao público em geral e dirigido por vários funcionários do governo. Está teoria não é aceite pela comunidade científica, que afirma que eles são apenas rastro normais , como não há nenhuma evidência científica que suporta a teoria chemtrail.
Por causa da popularidade da teoria da conspiração, as agências oficiais receberam milhares de queixas de pessoas que exigiram uma explicação. A existência de chemtrails tem sido repetidamente negada por cientistas e autoridades governamentais de todo o mundo, que dizem que o trilhas são rastros normais.


O termo chemtrail é uma junção das palavras "químicos" e "trilha", assim como contrail é uma contração de "fuga de condensação". O termo não se refere a outras formas de pulverização aérea, tais como pulverização agrícola ('varredura da colheita), a semeação de nuvens , skywriting , ou de combate a incêndios aéreo . O termo refere-se especificamente a trilhas aéreas alegadamente causados pelo lançamento sistemático de alta altitude de substâncias químicas não encontrada em rastros comuns, resultando no aparecimento de faixas no céu . Os defensores desta teoria da conspiração especulam que a finalidade da liberação química pode ser para gestão de radiação solar , manipulação psicológica , controle da população humana , a modificação do tempo , ou agente biológico ou químico de guerra, e que estas trilhas estão causando doenças respiratórias e outros problemas de saúde. 
Então agora você já sabe o que são os rastros deixados pelos aviões.

Origem do Voo:
Mecânico de Aviões



terça-feira, 21 de janeiro de 2014

VOO 3029 – TORRE DE RADAR DA BA-12






Mário Aguiar
Metralha

V. N. de Gaia





Boas companheiros.

Para fins de “consumo interno”, pedia o favor a quem tenha fotos da torre de radar da Ba-12, o favor de mas disponibilizar.

Um abraço
Mário Aguiar

sábado, 18 de janeiro de 2014

VOO 3028 – 37º. ENCONTRO DE ESPECIALISTAS DA BA-12



Boas companheiros.

Hoje na contagem decrescente para o nosso 37º. Encontro de Especialistas da BA-12, estamos a 133 dias.

Por esta razão, está na hora de vos informar que já contactamos as empresas de autocarros, que já nos prestaram serviços, quer Porto/Sintra, e Lisboa/Aguiar de Sousa, que nos forneceram os respectivos preços para em 31 de Maio, a quando do nosso Encontro no Bombarral, possamos ter um autocarro a sair de Lisboa/EMFA, e outro do Porto/Gaia, com recolha de companheiros em dois ou três pontos a acertar.


Para podermos organizar estes autocarros, temos necessidade de saber quem está interessado neste serviço.

O Comandante deste nosso encontro, conta com a colaboração, entre outros de:

- Comandante – João M. M. Lopes – MRADAR

          - Hélder Patrício – MMA
          - Ferreira de Castro (Menino) - MAEQ/MARME/METRALHA
          - Manuel Lanceiro – MMA
          - Mário Aguiar – MAEQ/MARME/METRALHA


Os seus contactos são respectivamente:

- JOÃO LOPES - jblopes31@gmail.com – 968 844 181

- HELDER PATRÍCIO - helderpatricio.santos@gmail.com – 960 128 811

- FERREIRA DE CASTRO (MENINO) - sslvtsintap@hotmail.com – 963 167 664

- MANUEL LANCEIRO - mjlanceiro@gmail.com – 938 481 300

- MÁRIO AGUIAR - mariopedrosantos@gmail.com – 919 453 007


Um abraço para todos.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Voo 3027 FUI MUITO AMIGO DELE.





Jorge Mariano
Alf.Engº.Quimº
Coimbra




Caros Amigos
 Agradeço ao Comando e ao Camarada Fernando Moutinho a informação, acerca do falecimento do ex Cap PilAv Loureiro. Fui na Guiné muito amigo dele.
Depois de regressar e me terem colocado nas OGMA, onde apenas ia quando estava de serviço, numa dessas vezes, o Cap Loureiro estava lá com um Nord Atlas e convidou-me para o voo de treino.

Fui, mas fizeram de propósito, nunca tinha dado conta que o Alentejo por onde voamos tinha estradas tão “esburacadas”!. Apesar das horas de voo que já tinha da Guiné cheguei todo mareado mas aguentei-me!!!
Fomos almoçar cozido á Portuguesa a um restaurante de estrada junto Alverca, ou melhor eles comeram eu não consegui!!…
Mais uma vez um grande obrigado e que a Senhora do Ar o tenha acolhido como merecia.
Abraço
Jorge Mariano


Voo 3026 PARABÉNS ANTÓNIO CORREIA.






António Correia
2ºSarg.Mil.MMA
Lisboa




Hoje é dia de aniversário, o António Correia completa mais um ano de aniversário.
Em nome de toda a Tertúlia “Linha da Frente”, desejamos-te um dia muito feliz junto de quem te é mais querido.


terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Voo 3025 PARABÉNS IVONE.




Santos Oliveira
2ºSargº.Ranger
V.N.Gaia


Caros Comandantes,  Camaradas  e demais Tripulação desta Nave
 Solicito a Vossa colaboração afim de ser dado conhecimento, por qualquer meio adequado, á Homenageada deste Dia 13 de Janeiro, a Honorável Camarada Ivone Reis.
Imensamente grato a todos.
Abraços, do



 


Parabéns, Ivone Reis
Aniversário: fragrância
Do arco que a Vida tece.
Mais um Ano, nova ânsia,
Novo perfume, na veia
Que nos segura na teia
Da imensidão, da distância,
Que esta Vida acontece…
Dentro, a Alma me diz,
Que, hoje, serás Feliz.

Beijo


VB: Apresentamos as nossas desculpas pelo atraso deste "voo" ,mas por motivos estritamente profissionais,não nos foi possível fazê-lo.


segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Voo 3024 DEMISSÃO DO COMANDO.





Jorge Mendes
2ºSargº.EABT
Coimbra


DEMISSÃO DO COMANDO

Caros amigos e companheiros de Comando e Tertulianos da Linha da Frente.
Por motivos de ordem pessoal , já devidamente transmitidos ao meu grande Amigo e 1º comandante Víctor Barata , informo que solicitei a minha saída do comando deste nobre espaço .
Não quero deixar no entanto de afirmar que  continuarei a admirar a qualidade e o trabalho até aqui desenvolvidos.
Pretendo no entanto manter-me como elemento da linha da frente.
Saudações sinceras a todo o comando e companheiros da linha  da frente.
Jorge Mendes
2º Sargº Milº EABT


VB: Pois caro Companheiro, agradecemos a tua excelente colaboração nesse trabalho com qualidade desenvolvido neste espaço a que te reportas,o teu contributo assim o engrandeceu.
Obrigado em nome do Comando e de toda a Tertúlia.


domingo, 12 de janeiro de 2014

Voo 3023 A ÚLTIMA VEZ QUE ESTIVE COM O CAP.PIL:AV.LOUREIRO.



Fernando Moutinho
Cap.Pil.Av.
Alhandra




Boa noite Victor

A minha RAM já está a falhar mas, de vez em quando, reanima e, assim, em relação à questão colocada no Voo 3018 por Jorge Mariano, irei acrescentar mais um facto.
Em Junho de 2002 O Gen Lemos Ferreira, Cap Loureiro e Moutinho receberam um Convite da TSF para uma entrevista sobre os Falcões.



Legenda:  Eu, Cap.Pil.Av.Fernando Moutinho, Gen.Pilav.Lemos Ferreira e Cap.Pil.Av. Loureiro,em 2002 quando fomof entrevistados pela TSF sobre os “Falcões”

Foto: Cortesia de Fernando Moutinho


 Comparecemos, demos a entrevista e tiramos uma foto para recordar e que te vou enviar para se o entenderes publicá-la.
Foi a última vez que estive com o Loureiro. Soube há já algum tempo que tinha falecido.
A Nossa Senhora do Ar deve estar a seu lado...
Um abraço
Moutinho


sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Voo 3022 RESTAURO DO F-84G THUNDERJET nº5187




Paulo Moreno
Sol.Fotogº.Fap
Embra
Marinha Grande




Em relação ao restauro do F-84G Thunderjet N.º 5187, temos mais notícias e um reparo a fazer, ao contrário do que foi escrito no voo 3013neste momento não é grupo “1754 Restauradores” que avança com os trabalhos mas sim a equipa do AM1 constituída pelos seguintes elementos: SMOR Alves, SAJ Torres, Cadj Sousa, Cadj Coelho, 1Cab Silva e Assistop Pinto,ficámos a saber que esta equipa se debate com necessidades de apoio mais relevante em mão-de-obra pois o projecto em causa assim o exige, devido a sua dimensão, e rigor do restauro.
Uma nota de apontamento da equipa do AM1 que ao ler o texto publicando no Blogue dos ESPECIALISTAS DA BA12, fez questão em responder:
(Quanto ao restauro que estamos a efectuar, é com prazer que sentimos o acompanhamento exterior da mesma o que nos motiva ainda mais e tudo iremos fazer para preservar o legado histórico.
Estamos receptivos a toda a informação que nos possam facultar sobre o F-84G, mais concretamente o 187.
Estamos disponíveis para fornecer qualquer informação que considerem importante. Gostáramos também de facultar periodicamente fotografias de forma a manter um registo actualizado do trabalho realizado.
Sobre a pintura da aeronave, estamos a aguardar decisão superior (MUSAR) de forma a podermos saber qual a cor,
Como devem calcular, estamos ainda só no início.
Muitas dificuldades irão surgir, como em qualquer restauro, tais como material, ferramentaria, mão-de-obra, disponibilidade e etc, que iremos tentar resolver da melhor forma que nos for possível.)
A Equipa do AM1, fez o favor de mandar algumas fotos demonstrativas do bom andamento do projecto, que com muito gosto divulgamos neste espaço, e ficamos na expectativa do bom avanço dos trabalhos.



O nosso Obrigado, Parabéns pelo profissionalismo e dedicação no restauro do F-84G Thunderjet N.º 5187.
Especialistas da BA-12

Voo 3021 ESQUADRA 751 "PARA QUE OUTROS VIVAM".






Miguel Pessoa
Cor.Pilav.
Lisboa




O realizador austríaco Paul Wex passou uma semana com a Esquadra 751 onde teve a oportunidade de conviver com os seus militares e com as suas missões.
O resultado é esta produção de pouco mais de 7 minutos. "Rays of Hope"
Portugal possui a maior zona de resgate na Europa.
A tripulação do esquadrão 751 resgatou 2.933 pessoas desde 1978.




quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Voo 3020 RECORDANDO UM AMIGO.






João Henriques
Esp.MRÁDIO
Vancouver
Canadá



Cumprimento todos os amigos e em especial o nosso comando.
Gostei de ver duas fotos enviadas pelo João Mendes, de quem eu me lembro muito bem,apesar de ser mais novo do que ele na BA12.
Foi o voo 2984 onde aparece o Cruz nas duas fotos, uma com a garrafa e outra ao lado da cama.
Pois vou enviar também duas, onde ele e eu, estamos na mesma mesa em Safim num jantar depois de um jogo de futebol de salão pago pelos sargentos. (perderam o jogo).




O Cruz de bigode e camisa preta e eu numa delas, no canto inferior do lado esquerdo.
Desejo a todo o pessoal desta base, um Bom Ano Novo de 2014.
Um abraço a todos.
João Henrique

Voo de Ligação:

https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif


Voo 3019 FOI 62 ANOS O MEU BAPTISMO...DE VOO!






Fernando Moutinho
Cap.Pil.Av.
Alhandra




Como foi o meu primeiro voo de Hurricane .
Diga-se, antes de mais, que tendo feito o meu "baptismo de voo" em 9 de Janeiro de 1952, num Tiger Moth com a matrícula 139, comecei a voar, na altura, num avião denominado Harvard, o nº 1613, no dia 3 de Junho do mesmo ano e, finalmente, a 3 de Setembro efectuei o 1º voo no Hurricane nº 600 .
Naquele tempo, as coisas não eram feitas com o rigor e o profissionalismo de
hoje, eram o paradigma d o "desenrascanço". Assim, deram -me 3 páginas de papel de stencil com uma breve descrição do avião mas, nada ou quase nada sobre o comportamento do avião.
Falava na velocidade de perda com trem e flaps em baixo e com o avião limpo e,
ainda, nos limites do motor com algumas referências a regimes de cruzeiro e subida, etc.
Na véspera do voo, um instrutor levou -me a sentar no cockpit e indicou -me como fazer um arranque, como funcionava a alavanca do trem e dos flaps (era a mesma), dos travões (pneumáticos), rádio e alguns conselhos mais. Depois, disse -me para continuar sentado a memorizar as explicações e respectivo cokpit.

Dia seguinte, o primeiro voo.
Pela primeira vez coloquei o "mae-west" (colete salva -vidas), o passe -montanha com os óculos facetados e a máscara de oxigénio. Novidades estas que , associadas ao accionamento do comando da rádio, uma pequena patilha na frente da máscara, e com a cabine tipo vidros de janela, me deram uma sensação de estranheza e irrealismo que se acentuou quando após o ”pôr em marcha”, teria de fazer uma rápida rolagem, de acordo com as recomendações , para evitar o perigo de aquecimento do glicol do sistema de refrigeração do motor.
Lá fui até ao princípio da faixa, consegui obter autorização da Torre, alinhei acelerei o motor, mantendo a direcção e, …no ar. Como? Não sei! Motor para a frente, olhos na velocidade, tirar o avião do chão, recolher o trem e flaps foi uma acção automatizada. Já no ar, seguindo as recomendações, reduzi um pouco o motor e observando a velocidade, comecei a subir. Num ápice, tinha atingido 16.000 pés. Foi quando comecei a tomar consciência do se que se estava a passar. Nunca tinha estado tão alto. Reduzi o motor, respirei fundo várias vezes e,que fazer? Principal preocupação, teria de aterrar . Mas, antes, precisava de fazer algumas manobras para sentir o avião,incluindo perdas e “compreender” a máquina.
Entretanto fui descendo para 12.000 pés circulando sobre a Base pois não queria perder o campo de vista, tendo iniciado várias manobras para experimentar os comandos, reacção do motor e as referidas perdas para sentir confiança na aterragem. As primeiras sensações foram de admiração por ter nas mãos um avião tão dócil mas ao mesmo tempo com garra. Aquele motor era uma maravilha. Que belo ronronar! Por fim, tive de me deixar de devaneios e pensar em aterrar. Assim o fiz. Não me pergunte como? Pois correu tudo muito bem. Sinceramente, só dei por mim a tocar o solo e a preocupar -me em manter a direcção, em virtude da dificuldade em se ver para a frente (não esquecer que tinha roda de cauda). Rolagem rápida. Estacionamento e, um acordar maravilhado pelo que tinha vivido. Tinha m passado 40 minutos.Foi a prova mais complexa de toda a minha vida de piloto. Ficou -me bem gravada mas, valeu a pena! Bons tempos!Não me considero herói. A prova é que não fui só eu que passou esse teste, todos os outros meus colegas de curso o passaram.

Um abraço

VB: Parabéns Mestre Moutinho!
É com muito orgulho e emoção que o felicitamos nesta data que assinala o seu 62º aniversário sobre a data do seu BAPTISMO DE VOO”!
Comemorar este dia,com 82 anos de idade e a humildade que o caracteriza…só um MESTRE!
Que Deus o mantenha na nossa família mais alguns anos com saúde ,para nos continuar a ministra essas preciosas aulas sobre essa disciplina que cada vez teima mais em desaparecer em alguns Companheiros.  
Obrigado MESTRE


Moutinho

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Voo 3018 QUEM SABE DO Cap.Pilav. FERNANDO LOUREIRO?





Jorge Mariano
Alf.Mil. BA12
Coimbra





A minha ausência é grande como “escritor” mas assídua como ”leitor”, quase todos os dias passo pelo Blog.
E hoje ao ver o ultimo trabalho do Paulo Moreno e a copia com as assinaturas recordei o então Cap. Pilav. Fernando Loureiro de quem sou muito amigo e com quem convivi e com a família na Guiné.
Sabem dar-me noticias dele? E o contacto dele se acaso tiverem.


Nesta foto, da esq/dir. estão o Comandante Moura Pinto o 2º Comandante (já esqueço o nome!) e o então Cap Fernando Loureiro e? . Será assim?
Um grande Abraço
Jorge Mariano


VB: Finalmente temos o Jorge de novo  a fazer um voo até nós!
Antes de mais desejar-te um ANO 2014 com muita saúde.
Relativamente á foto apresentada

Legenda: Esta foto refere-se á patrulha acrobática “Dragões” durante um festival na Bélgica e é composta por:
De pé esq/dirª, Lemos Ferreira,2ºCmt da BA 12,Moura Pinto,Cmt.ZACVG, e Fernando Moutinho. Em baixo e pela mesma ordem,Fernando Loureiro e Barros Valla.

Tanto quanto sei,apenas o Lemos Ferreira e Fernando Moutinho se encontram connosco, infelizmente os outros já partiram para chamado “último voo”.
Quanto ao Loureiro de que falas,não te podemos informar se efectivamente era o desta foto, sabemos que era piloto de Nord’s e que em 1973 estava em Moçambique. Será a mesma pessoa que procuras?  

Voo de Ligação:
Voo 3013 - Recordar a patrulha dos "DRAGÕES" - Paulo Moreno

Voo 3017 VISEU HOMENAGEIA ESPECIALISTA DA FAP FALECIDO EM ACIDENTE NA GUINÉ.





Jorge Narciso
Esp.MMA
Lisboa




Caro Victor
Primeiro começar por desejar que tenhas passado Boas Festas  e que o Ano que agora entra seja melhor que os antecessores, apesar daquele incidente com o teu (nosso) Museu que seguramente irás ultrapassar rapidamente.
Para além desta mensagem um pouco atrasada mas que sabes sincera, venho informar-te que no passado dia 26/12/13 (de que só agora tomei conhecimento) foi publicado na Tabanca Grande um Post (12507) onde era relatado (com foto comprovativa) que foi atribuída a uma Avenida de Viseu o nome do Machado que, recordo, pereceu (com o Cap. Rodrigues) no acidente com o heli canhão de 1969, que relatei em Post publicado no n/ Blogue.

Legenda: Placa toponímica de homenagem ao nosso malogrado camarada da FAP, António Carlos de Oliveira Machado,(Machadinho) falecido em desastre aéreo em Bafatá, em 12/7/1969,na freguesia de Abravezes, concelho de Viseu.
Foto: © Luís Nascimento. Todos os direitos reservados.

Penso que poderia ser reproduzida no Blogue essa  informação da Tabanca (que julgo não terá qualquer objecção).
Com um forte Abraço 

Jorge Narciso

Voos de Ligação:

Origem do Voo:
Blog: LuisGraça&Camaradas da Guiné