quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Voo 3471 BOAS FESTAS (4)







Victor Barata
Esp.Melec./Inst./Av.
Vouzela




Companheiros,

Ao aproximar-se o Natal e o Novo Ano
quero desejar-vos muitas felicidades, Amor e Paz.
Que todos nós tenhamos a consciência que o rancor, o ódio,e outros sentimentos mesquinhos a nada nos levam,
apenas destroem a nossa alma.
Que tenhamos a Paz de Espírito para o discernimento
Desejo que o novo ano, seja um ano de muitas transformações e realizações para todos nós, não só no campo material, mas principalmente em nossa vida, em correto de que estamos fazendo aquilo que é justo e correto para nós e todos os que connosco compartilham o dia a dia.
Que tenhamos o prazer de ser útil a alguém. nosso "eu" interior.
Desejo que todos tenham o que for justo, belo, sereno e louvável ao olhos de Deus.
Que os anjos desçam do céu e iluminem o nosso sorriso para que ele se torne tão sincero quanto o sorriso de uma criança.
Por último, que  transmitiremos a paz e o amor a todos aqueles que se aproximarem de nós.
Santo  Natal e um Feliz Ano Novo.


Victor barata

Voo 3470 BOAS FESTAS (3)




Santos Oliveira
2º Sargº. Mil. Ranger
V.N.Gaia




Voo 3469 BOAS FESTAS (2)














Voo 3468 BOAS FESTAS (1)





Carlos Robalo
Esp.MMA
Lisboa




Aos meus Amigos e Companheiros da B.A.12  e familiares, desejo-vos um Santo Natal,com Paz , saúde e alegria.
São os votos do

Carlos Robalo


terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Voo 3467 PEDIDO DE ESCLARECIMENTO.

João Lucas
Leitor do Blog

Caros camaradas do blogue “Especialistas da Base Aérea 12”,
Escrevo-lhes para tirar uma dúvida minha, acerca de uma publicação vossa, cujo link coloco abaixo. A minha dúvida prende-se com o seguinte: O autor da “reportagem”, no final assina como “Rui Elvas PCAB/PA/CAUT/PQ 088145-H”.
Pois bem, PCAB significa ser ele Primeiro-Cabo; PA que tem a especialidade de Polícia Aérea; CAUT que tem a sub-especialidade de Condutor Auto; o número seguido de letra é o NIP (Número de Identificação Pessoal)… A minha dúvida, prende-se com o PQ… PQ é relativo ao quê?
Grato pela atenção dispensada.

Saudações aeronáuticas.

João Lucas

Voo 3466 ASSEMBLEIA GERAL DO NÚCLEO DE COIMBRA DA AEFA.





Augusto Ferreira
Esp.Melec.Inst/Av.
Coimbra









No passado dia 3 de Dezembro realizou-se no Aeródromo Bissaya Barreto em Cernache – Coimbra a Assembleia Geral do Núcleo de Coimbra da AEFA.
A sessão iniciou-se com o cumprimento de 1 minuto de silêncio, em homenagem á esposa do nosso companheiro Zé Gomes, que faleceu no dia 2 deste mês.
De seguida o Sr. Presidente José Andrade leu em voz alta as Actas nº5 e 6, das quais distribuiu cópias a todos os presentes, relativas ás actividades do ano que finda e as projectadas para o ano 2017.
Na ausência de Tesoureiro Sr. Manuel Miranda, que por motivos de força maior não pode estar presente, leu o relatório de contas, pondo-o á discussão, sendo aceite por todos.
O secretário Sr Jovino da Chão apelou a todos, no sentido de contactarmos novos ex-Especialistas, para os motivarmos a aderirem á nossa Associação.
Procedeu-se depois ao pagamento de cotas relativas ainda a este ano e para o próximo.
Deslocámo-nos de seguida para o restaurante, onde conjuntamente com o Sr.Presidente e Vice-Presidente da AEFA e mais alguns companheiros do norte que nos aguardavam, saboreámos em conjunto o nosso Almoço de Natal.
Com a alegria que sempre sentimos nestes reencontros passámos rapidamente este tempo de almoço.
Até uma próxima.
ESPECIALISTAS SEMPRE


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Voo 3465 ZÉ GOMES ESTÁ DE LUTO.




Augusto Ferreira
Esp.Melec./Inst./Av.
Coimbra






Caros companheiros e amigos, fui informado há momentos pelo nosso Presidente do Núcleo de Coimbra da AEFA, sobre o falecimento da esposa do nosso companheiro Zé Gomes, após um longo período de doença.
Senhora bem conhecida e acarinhada por todos nós, deixou-nos. Que Deus a tenha em bom lugar.
O seu corpo estará a partir das 17h de hoje na Igreja de Vila Pouca de Cernache.
Amanhã pelas 11h haverá missa de corpo presente.
Ao nosso Zé Gomes e família as nossas sentidas condolências.

Voo 3464 O TERCEIRO DEZEMBRO EM BISSALANCA - FINAL









António Fiche
Esp.MRÁDIO
Montijo




Dia 1º de Dezembro, feriado, vou a Bissau pela 100ª vez, camarões no Ninho,
depois salão de festas da UDIB, jantar no Pelicano e voltar à UDIB, eram muitos
companheiros que não consigo decifrar... Dia 4 Bissau vou comer Amura e Benfica,
com o Amado e Coné? Dia 8 serviço MRD...
No dia 9 logo pela manhã chega o Gen Spínola para voar de heli, e como já era usual
empresto-lhe uns auscultadores, enquanto o piloto que era TenCor Brito faz a vistoria
ao heli, o Gen Spínola chama-me e faz gestos em que não ouvia nada, e eu ponho os meus
auscultadores e assopro e ele também assopra, e repetimos umas 2 ou 3 vezes, foi uma cena
deveras caricata... “Eu bufava, ele bufava”, como disse um camarada MMA que era nortenho
de certeza... Entretanto como ouvia nos meus o “feed back”, disse-lhe para trocar com os meus,
e assim foi, mas o TenCor Brito disse-me para lá estar à tarde quando viesse, para falar comigo.
E assim fiz, pois já estava com medo de levar uma “porrada” já depois de ter acabado a comissão,
mas afinal não aconteceu nada e ainda bem, e quanto aos auscultadores estavam OK.




Dia 10 vou a Bissau jantar no Pelicano e café Grande Hotel com JC?... alguém sabe quem é este
companheiro, pelas iniciais não estou a ver quem é, e ao fim 44 anos “manga di dias” se passou…
No dia 12 de manhã, quando o Cor Lemos Ferreira se preparava para ir voar num Fiat, falei-lhe
sobre o meu caso de já ter acabado a comissão... e nesse dia iam partir alguns camaradas, que
tinham vindo comigo para a Guiné: Cunca, Clarinha e Amado... e eu sem substituto, lá continuava
a trabalhar e o capitão que estava a chefiar o serviço, também nada resolvia.
Dia 16 vou falar novamente com Cor Lemos Ferreira, desta vez ao seu gabinete, e assegurou-me
que ia tratar do meu caso... e fiquei contente e à noite fui a Bissau novamente jantar no Pelicano,
com JC e Silva.
Dia 18 estava eu na linha logo de manhã, quando me vêm chamar para fazer o desquite...
e ala que se faz tarde, lá vou eu! Será que vou passar o Natal a casa…?
Dia 21 fui a Bissau de tarde fazer compras e comer camarões no Tropical com JC.
Dia 22 último filme que vi no cinema da BA12... “Os cavalos também se abatem”, pois um título
mesmo a propósito, era o que me sentia: Abatido... porque avião antes do Natal... “ká tem”...
agora é só resignarmos e esperar…
Dia 23 última vez que fui a Bissau, e jantei na Marisqueira com o Pascoalinho e Silva.
Dia 24 nota: Jantar melhorado... e houve festa no Clube de Especialistas.
Dia 25 nota: Almoço batatas com bacalhau... na companhia do Pascoalinho, Silva e outro
camarada… Alguém tirou uma foto para recordar mais tarde, mas nunca a cheguei a ver.

Dia 26 finalmente estou na lista para o avião do dia seguinte, fui entregar AEC
e recebi guia de marcha.
E no dia 27 lá estou pelas 12,30 no terminal para apanhar o avião tão desejado,
o Boeing 707 dos TAM 8802, tendo partido às 15,30 de Bissalanca, terra que me
acolheu durante 700 dias completos, (não contando as férias), e chegado a Lisboa
às 21,50 (hora local)...




Enfim pisei a terra que me viu nascer, e o frio que estava não incomodou, porque
os braços calorosos dos meus entes queridos, me aqueceram com o seu amor.
  
Resumindo e concluindo... todos os companheiros, ou camaradas, conforme
queiram ser chamados, passaram por coisas como estas que descrevi nestas
pseudo-crónicas, uns bem, outros menos-mal, com nó, ou sem nó, a maioria veio
com saúde, outros com menos saúde, e alguns... não vieram.
O que fica desta nossa estadia longe de familiares e amigos que por cá ficaram,
é que todos nós Especialistas, que convivemos lá em sã camaradagem, nos tornámos
numa verdadeira Família Especialista, que nos vamos encontrando nos nossos
almoços de confraternização, nunca esquecendo todos aqueles que não vieram... (RIP)
Saúde para todos que é a coisa melhor que podemos ter.
E vamos nos vendo por aí!

“FOMOS ESPECIALISTAS, SOMOS ESPECIALISTAS, SEREMOS SEMPRE ESPECIALISTAS”

Caro Comandante e amigo e assim terminei estes 11 apontamentos que decorreram
Entre Novembro/70 e Dezembro/72, que foram descritos o melhor que soube fazer
e que a minha memória se foi lembrando.
Saudações Especialistas e um grande abraço!

ANTÓNIO FICHE

Voo 3463 ESTÁ DE LUTO O NOSSO COMPANHEIRO JOSÉ GOMES.





Companheiros,
Foi com muita emoção que recebi esta triste notícia, do falecimento da DªHelena,esposa  do nosso Companheiro José Gomes, pois apesar de a saúde da nossa “Santinha” não ser a melhor,o momento final é sempre doloroso.
Mas,Companheiros,a vida é cheia de surpresas, nem sempre tão belas. Aprendemos a lidar com as dores sem que elas nos peçam licença. Vão entrando sem dó, arrebatando o nosso coração.
Os amigos vêm e vão, mas os bons, ficam no nosso coração como tatuagens e marcas eternas. Um dia vamos todos encontrar-nos, e espero que até que isso aconteça, caminhe sempre comigo ao seu lado como um anjo protetor. Amiga “Santinha” foi, é e sempre será a minha eterna amiga. Obrigada por fazer parte de um pedaço da minha vida.

Victor Barata


NOTA: Neste momento ainda não são conhecidos pormenores sobre as cerimónias fúnebres.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Voo 3462 O AVIÃO DOS "CORONÉIS"





Fernando Moutinho
Cap.Pil.Av.
Alhandra






C-45 – Beechcraft ou carinhosamente o BC


Aqui está um caso especial na minha experiência.
Este avião era conhecido como o avião dos “coronéis”. Era um avião pacifico e simples de voar. Só a aterragem era mais sensível.
Totalizei neste avião 391:15 horas. A maioria foram as efectuadas em Angola entre 1968 a 1972. Antes tinha efectuado alguns voos a 2º piloto mas sem conhecimentos do avião. Ia lá só para ocupar o lugar. Como parodiávamos, “a saco de batatas”.
Em Angola, o Comandante da Região Aérea Gen. Almeida Viana gostava de pilotar o BC mas, como dizia que já era velho, precisava de alguém com experiência para o acompanhar. Daí, terem sido largados 2 pilotos.
Acabei por ser eu o preferido.
Após ser largado comecei a tentar conhecer o avião - “vícios” do passado. Consegui obter uma T.O. (Livro de Instruções) na Delegação das OGMA e comecei a ler e a tentar aplicar o que lia. Com o tempo arranjei 4 livros de origens diferentes.
A minha primeira surpresa deu-se com a potência de cruzeiro.
Sempre vi ser utilizada: 25 HG pressão de admissão e 2.000 rotações. Ora o Livro não dizia nada disto mas sim: 28 a 30 HG e 1700/1800 rpm dependendo do peso. Mal comparado, isto significava mais ou menos, utilizarmos sempre a 3ª velocidade num automóvel. O resultado era que o avião andava menos e gastava muito mais.
Exemplo: normalmente, para se ir de Luanda a H. Carvalho ou Luso fazia-se escala em Malange para reabastecimento.
Comecei a fazer um trabalho de aperfeiçoamento que incluiu mexer em tudo que possibilitasse aumentar o alcance, desde mistura, persianas do motor, verificação da fiabilidade dos indicadores de combustível – para isso sequei os depósitos para saber quando tempo após o “zero” realmente faltava o “petróleo”. E, uma coisa muito importante – a altitude de voo. Era normal fazerem-se voos entre 3.000 a 5.000 pés. Passei a voar, para distâncias mais longas, a altitudes entre 10.000 e 12.000 pés. A esta altitude, a velocidade ao solo era bastante mais elevada e o consumo bastante mais reduzido.
Consegui…optimizar a máquina.
Quando se ía a Cabinda abastecia-se lá. Pouco depois ía e regressava sem o fazer. Ir a HCarvalho ou Luso passaram a ser voos directos. Idem para Silva Porto, Serpa Pinto, etc. O troço mais longo que fiz sem reabastecer foi Luanda/Cazombo (saliência junto à Zâmbia).
O sucesso foi tal que os pilotos que voavam o BC no Negage, vieram encontrar-se comigo para saber o “segredo”. Eu disse-lhes: muito simples, sigo a T.O.
A maioria dos voos que fazia era com o Gen. Almeida Viana que entretanto foi nomeado Comandante-Chefe de Angola. Na prática era o seu piloto particular.
Todos os voos eram importantes. Eram missões especiais e quase sempre diferentes. Há um voo que ficou profundamente gravado na memória.
A 31 de Dezembro de 1969, o Gen. Almeida Viana resolveu ir passar a noite de Fim do Ano com os militares que estavam aquartelados, na Coutada do Mucusso, no extremo sudeste de Angola junto à fronteira da África do Sul.
Saímos de Luanda, reabastecemos em Silva Porto, confraternizamos com os marinheiros em Vila Nova do Armada (sul do Cuito Canavale) e daí para a Coutada do Mucusso. Tempo de voo 5:10.
No dia seguinte: descolagem do Mucusso, com paragens em locais onde havia destacamentos militares, a saber: Luenge, daqui para o Cuito Canavale, Gago Coutinho e Luso. Mais 4:05 horas.
Esta Missão de Fim de Ano, teve por finalidade, confraternizar com os que mais longe e mais isolados estavam. Foi um êxito.
Os Voos com o Gen. Almeida Viana nunca foram voos fastidiosos. Até foram empolgantes em várias ocasiões.
Vivemos aventuras interessantes.
Excelente “máquina”.
Nunca me deu problemas.
Tenho saudades dela.

Vaidades….

Fernando Moutinho


Voo 3461 UM EM ATITUDE DE GUERRA.







Victor Sotero
Sarg.Môr EABT
Lisboa





Propositadamente guardei para o final das exposições que fui fazendo sobre velhas glórias voadoras que marcaram presença na B.A.2 esta fotografia de um homem em atitude guerreira. Penso que na altura pertenceria à classe de Sargentos.
Trata-se do sr. Capitão Fernando de Sousa Moutinho com o NIP 000357-D e cuja data de promoção a este posto é de 24-10-1966.
A sua passagem à Reforma data de 01-07-1990.

sábado, 26 de novembro de 2016

Voo 3460 A MINHA COLABORAÇÃO SOLICITADA NO VOO 3458.





Fabricio Marcelino
Esp.MMA
Leiria




Caro Comandante Victor.
Só agora li o VOO 3458 e gostava de responder ao pedido de ajuda sobre os aviões F-86F acidentados.
Estes são os dados de que disponho e, penso estarem correctas as datas e números dos aviões.
Talvez o nosso colegas Cap.Piloto Moutinho possa confirmar se há algum erro.

5308 Destruído em acidente a 13 de Janeiro de 1977 em S.Pedro de Moel-faleceu o Major Pil.Av. Nazário Rodrigues.

5312 Destruído em acidente a 23 de Outubro de 1962. (Embora eu estivesse na Base nesta data, não me recordo o nome do piloto).

5314 Destruído em acidente a 17 de Agosto de 1962 em Bissau. Piloto Alf.Pil.Av.Barbosa,voava em parelha com o Ten..Cor.Barbeitos de Sousa. Aterragem tardia com temporal.
NOTA:- Este Alferes faleceu como Cap. aos comandos do avião 5362 em 16-12-1970. 

5322 Abatido por fogo anti-aéreo na Guiné em 31 de Maio de 1963.O Piloto ejectou-se e foi recuperado.

5323 Destruído em acidente a 14 de Abril de 1960 em Ansião. O piloto Alferes Correia Barros não sobreviveu.

5325 Destruído em Acidente a 1 de Junho de 1960, em Carvide(aldeia mesmo junto às pistas da BA5).O Piloto 2º Sarg.Pil.Av. Conceição Vitorino não sobreviveu.

5342 Destruído em acidente a 14 de Março de de 1962.Piloto 1º Sarg.Pil.Av.Cabral. Ejectou-se e sobreviveu (eu próprio presenciei a sua ejecção) dado que foi um pouco a norte da pista da B.A.5.

5343 Colisão em voo sobre o mar na Figueira da Foz.Faleceu o Alferes Piloto Hermínio Rosa de Sousa.

5345 Destruído em acidente em Alcochete.Ao lançar uma bomba esta ficou presa e rebentou por baixo da asa.Era piloto o Ten.Pil.Av.Freire.Ejectou-se e sobreviveu sem qualquer ferimento.
NOTA:À noite ao festejar na B.A.5 fracturou um pé.Mais...foi pai de um filho nesse dia!

5348 Destruído em acidente a 24 de Maio de 1966.

5355 Destruído em acidente a 20 de Fevereiro de 1961

5356 Destruído em acidente a 1 de Abril de 1965.

5362 Destruído em acidente a 16 de Dezembro de 1970 em Alcochete. Neste acidente perdeu a vida o Cap.Pil.Av. Amílcar Barbosa (oficial que eu conhecia bem).Esteve comigo na Guiné,onde já tinha tido um acidente na aterragem tardia,devido a temporal,com o avião 5314)
.
Um abraço a todos 
Marcelino